Author Archive for Luciana Brites

12
mar
09

Devemos negar nossos instintos???

Estou lendo um livro interessante chamado “Eu, primata!” de Frans de Wall, o livro aborda os aspectos do comportamento primitivo de algumas espécies de chipanzés e dos bonobos em comparação ao comportamento humano. Muito interessante avaliar que durante séculos, os primatas foram vistos como animais com instintos violentos, dominadores, onde o macho dominava as fêmeas e o sexo era ferramenta de poder, dominio e submissão.

Então a partir da década de 20 foi descoberta uma nova raça de “macacos” que se diferenciavam dos chipanzés por sua estrutura mais baixa, menos robustos  e com corpo alongado, lembrando inclusive as caracteristicas fisicas de um intelectual. Após observar durante anos esta espécie, Frans de Waal, pesquisador e autor do livro, observou que os bonobos são seres extremamentes sexualizados, pacifistas e buscam resolver seus conflitos gerais através do sexo. Ele narra um episódio que ocorreu há muitos anos atrás onde  um suposto chipanzé acompanhava a doença terminal de seu companheiro. E durante o episódio o chipanzé demonstrava sofrimento, empatia e auxilio. Quando o companheiro faleceu o suposto chipanzé demonstrou muito sofrimento. E anos mais tarde quando o mesmo veio a falecer, após biópsia no cerebro do animal descobriram que se tratava de um bonobo. Os bonobos são capazes de demonstrar empatia em relação ao outro, caracteristica até então considerada própria de apenas uma raça: os seres humanos!

Mas onde quero chegar com tais informações? Simplesmente ao fato de que muitas pessoas ainda hoje, vêem os seres humanos como seres muito próximos deste animais e alegam que o homem é um ser agressivo e dominador por natureza. E que suas atitudes benevelontes são geralmente dissimulações. Só que com estas atuais descobertas, percebemos que sim, o homem possui uma natureza agressiva e dominadora como os chipanzés, mas ele também possui uma empatia e benevolência assim como os bonobos.

Quando o ser humano pratica um ato de crueldade, a primeira coisa a se ouvir é que ele não é humano, só pode ser um animal. Quando ele pratica um ato de bondade ouvimos o oposto, que ele é muito “humano”. A natureza está aí para ser superada, mas até que ponto? até que ponto negar nossa natureza nos transforma em seres melhores? afinal, ser humano também é ser parte da natureza. E não adianta negar nossos instintos e nem tomar remedinho pra fingir que eles não estão ali. Cabe a todos nós a tarefa de sermos menos máquinas e mais instinto,  menos racionais e mais intuitivos. Afinal, a natureza sempre cobra seu preço!!!

03
mar
09

Será obra do acaso?

Hoje acordei inspirada, pensei em falar sobre algum tema especifico sobre acupuntura, sobre alguma técnica especial de tratamento, algum caso clinico complexo, mas não! Não quero falar sobre isso hoje. Técnicas e aplicações de acupuntura há muitas e você encontra em muito blogg por aí.

Então pensei: Sobre o que falar? Melhor dizendo: Sobre o que quero falar? Quero falar sobre as leis que regem as nossas vidas, aquelas conhecidas leis do acaso. Você acorda de manhã com tudo programado, o que vai vestir, onde ir, o que fazer, com quem fazer. De repente, não mais que de repente as coisas mudam de lugar e imprevistos acontecem, aquela roupa que você escolheu está manchada, aquele compromisso foi desmarcado e outros compromissos são assumidos, as coisas se encaixam e você percebe que você não fez o que programou, simplesmente você fez aquilo que deveria ter sido feito.  As vezes nos pegamos ansiosos, cabisbaixos perguntando a nossa consciência se estamos onde realmente deveriamos estar.  A resposta é simples, sim, vc está exatamente onde deveria estar. Nem mais a frente e nem mais atrás. E assim a vida tem se mostrado pra mim como algo incontrolável funcionando dentro de uma padrão de ilusão de controle. Não podemos controlar tudo, sabe porquê? Por conta da tal obra do acaso. E quem está por trás desta obra?  Alguns diriam: Deus!  outros menos ou mais cristãos (?) diriam: O diabo! E eu digo: O Universo! Existem leis, forças e muita energia atuando sobre e através de nós. E isso não pode ser negado. Acho que até pode, mas que triste passar pela vida desta forma, negando a própria vida da vida!

Vamos dizer sim aos acasos, intuições e tudo aquilo que parece que vem de fora mas está dentro. E tudo aquilo que parece que está dentro mas vem de fora.

Enfim, basta olhar aquele simbolo do yin/yang e perceber que é a  figura que mais simboliza essa relação de dualidade mostrando que no final, um possui  parte do outro dentro de si.

01
mar
09

ACUPUNTURISTA É ASSIM:

Não chora, nem fica triste… …Desperdiça líquido orgânico, Lesando o PO;
Não rí..Exterioriza a energia do Shen;
Não é dócil, nem flexível …É dominado pelo elemento Terra;
Não é “sarado” … Seu tônus é mantido pela subida de Qi propocionado pelo BP;
Não respira… Inala Qi puro e exala o Qi impuro;
Não entra no climatério ….Pode estar fazendo um quadro de calor no coração;
Não tem TPM…. Provavelmente pode estar acontecendo estagnação de GAN;
Não é comunicativo(a) …Seu HUN que é forte;
Não tem preguiça… Tem é o ZHI fraco;
Não tem lapsos de memória, nem é burro(a)…. Tem é uma grande chance se estar com seu YI em desarmonia;
Não fica “duro”…. sua parte YIN é que enfraqueceu;
Não é guloso…tem tendências a provocar diminuição do Qi do BP;
Não é medroso(a)…Tem o Rim em estado de desequilíbrio energético;
Não sente raiva, nem depressão….Sente que fatores levaram a alterar a energia do fogo do seu fígado;
Não tem doenças mentais….Sofre de distúrbio denominado DIAN KUANG…
Ou seja…Acupunturista não é um ser equilibrado…
É um ser em harmonia entre o YIN e o YANG
Acupunturista não é um ser feliz……
Ele é um ser em completa comunhão com o TAO!

01
mar
09

“Aquilo que é estático e repetitivo é entediante. Aquilo que é dinâmico e randômico é confuso. No meio situa-se a arte.”

Aproveitando o título do meu blogg resolvi falar um pouquinho sobre essa relação equilibrio x saúde.

Segundo a organização Mundial de Saúde, saúde não significa ausência de doença e sim, o completo bem-estar fisico, mental e social. Isso também faz sentido para a filosofia tradicional chinesa que acredita que a busca pelo equilibrio é o que torna as pessoas saudáveis,o equilibrio é um estado de paz interior que encontramos em determinadas fases da vida, como estamos em constante tranformação, esse estado, geralmente, não se mantem durante muito tempo para algumas pessoas, diria até que para a maioria. E a partir desses desequilibrios em excesso surgem as doenças, os desconfortos fisicos e emocionais. Tudo na natureza busca um equilibrio, nenhuma situação extrema perdura para sempre. Logo após a noite alcançar seu auge o dia se pronuncia. Assim é com a vida humana, com os animais, a natureza e tudo que existe. Nosso próprio corpo nunca está em equilibrio, enquanto estamos parados existem forças trabalhando para nos manter nesta posição, mas em nenhum momento estamos completamente parados, nosso corpo vive numa luta interna e externa considerando os vetores de força que atuam nos nossos musculos para nos manter na posição adequada. E isso também se reflete no nosso estado mental. Se estamos muito eufóricos, nosso organismo tende a “baixar nossa bola” minutos depois ou se estamos tristes, algo repentinamente tira-nos deste estado. É claro que aqui estou citando situações  de alteração de humor considerados “normais”. Em casos de depressão e ansiedade crônica a coisa é mais complicada, porque nestes casos estamos falando de situações em que já alcançamos um estado de desequilibrio interno e externo critico devido a ausência de determinadas substâncias no nosso organismo. Algumas pessoas, simplesmente não produzem ou produzem menos substâncias do que o necessário levando a estados depressivos ou ansiosos crônicos. A acupuntura favorece a busca pelo equilibrio, porque ajuda a promover uma sensação de bem-estar e relaxamento através da liberação de serotonina e dopamina, ambos responsaveis pelas sensações de prazer, bem estar, aumentando a disposição geral do individuo.

Por isso, “equilibrio é arte”, é a arte de conciliar boa alimentação, estilo de vida, trabalho, lazer, familia, obrigações, situações estressantes do dia-a-dia sem deixar que isso se torne uma agressão ao nosso organismo e as nossas emoções. Sentir raiva, tristeza, alegria, preocupações é saudável e faz parte da nossa natureza e de nosso instinto de sobrevivência. Não devemos reprimir nossos sentimentos, mas precisamos reconhecer também quando já é hora de deixá-los. Segundo a filosofia oriental, cada sentimento possui uma frequência energética, o mau está em permanecer preso a estas frequências, medo e tristeza em excesso causam danos aos nossos rins e pulmões. Mas alegria em excesso, torna-se euforia o que  também faz mal ao nosso chi (energia) do coração Manter o equilibrio em nossas vidas não é tarefa fácil, mas a arte está justamente na criação deste estado, e em nos tornarmos aquilo que queremos ser…
“A esperança equilibrista
Sabe que o show
De todo artista
Tem que continuar…”

Elis Regina.

26
fev
09

Acupuntura no Tratamento de Rugas de Expressão

O ser humano nasce com uma pele lisa, elastica e brilhosa. Como envelhecer é um processo natural do ser humasno, aos poucos, conforme o tempo vai passando, lá pelos 25 / 30 anos nosso corpo começa a mostrar os sinais e as manifestações do tempo em nossas vidas. E um dos processos de envelhecimento inicia-se através das marcas de expressão chamadas rugas. Nas dinastias da antiga China, diversas Imperatrizes já se utilizavam da acupuntura como método terapeutico para aplacar os efeitos do tempo. Atenuando rugas e marcas de expressão. Um dos efeitos da acupuntura é a tonificação da estrutura da pele, levando a um aumento da circulação local, aumentando assim a oxigenação dos tecidos. O que nos leva a uma melhora no quadro de diminução da elasticidade, aumentando assim a produção do colageno. Existem diversos tipos de rugas, desde as chamadas “rugas dinãmicas” aquelas que surgem com os movimentos da mimica facial e desaparece em repouso; e as “rugas estáticas” aquelas que se apresentam mesmo na ausência de movimento,  geralmente, devido a uma repetição de movimentos faciais. Conforme alguns autores citam , a acupuntura para o tratamento de rugas surgiu quase que “por acidente” durante tratamento de lesões faciais, através de aplicações de acupuntura na região foi percebida mudanças na estrutura da pele como maciez e diminuição de linhas de expressão. E existe uma regra importantissima para quem quer melhorar o aspecto da face de seu cliente: Nunca tonificar um musculo, sem antes sedar seu antagonista de acordo com a região que está sendo trabalhada.

Para manter sua musculatura facial saudável e com uma boa oxigenação deve-se lutar contra os seguintes inimigos de uma pele sadia: Fumo, má alimentação, estresse, exposição excessiva ao sol,mimica exagerada, poluição ambiental, ar condicionado e exposição ao vento frio. A hereditariedade também é um fator importantissimo no aparecimento das rugas de expressão.

É preciso lembrar que as rugas não podem ser evitadas, o que podemos proporcionar é um retardamento dos efeitos do tempo. Buscando sempre o equilibrio entre corpo e mente é possivel alcançar a longevidade e um enevelhecimento saudável. A estética e a saúde devem sempre caminhar juntas e nunca em direção opostas.




Artigos Anteriores

Categorias

Copyright

© 2008 Luciana Brites - Todos os artigos deste blog são de autoria de Luciana Brites, com os direitos protegidos conforme a Lei 9.610/98.
Os textos dos comentários são de autoria e responsabilidade dos autores individuais. A autora deste blog não assume qualquer responsabilidade sobre os mesmos nem assume concordância com as idéias apresentadas.